quinta-feira, 31 de julho de 2014

Resenha: Extraordinário - R.J. Palácio



"Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo."

Esse livro completamente cumpri com seu titulo, é uma livro com uma leitura fácil, inteligente, e muito inspiradora. terminei esse livro em dois dias, e eu não queria que ele terminasse, você entra em uma conexão como protagonista desse livro que é surreal, muitas vezes eu tinha vontade de entrar dentro do livro e abracar ele bem forte. Porque como todos sabemos o quanto já é difícil vivermos com nossas diferenças nessa sociedade, agora imagina pra uma criança que tem uma doença rara, e ainda tem de enfrentar o que talvez eu chame de pior fase .. a escola.

August Pullman, (Auggie como seus amigos e familiares o chamam), nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Embora isso, Auggie é um menino muito inteligente, gosta de ler bastante livros e é apaixonado por Star Wars. Quando ele completa 11 anos, sua mãe decide que ele deve ir para a escola, pois era ela quem dava aula em casa para ele, no começo seu pai não concordou, então o levaram para conhecer a escola, onde ele conhece três crianças a qual o diretor (quem tem um sobrenome muito engraçado) sugeri que poderiam ser seus amigos, mas, nem todos são agradáveis com ele.

Auggie acaba aceitando ir para a escola, claro que chegando lá, ele enfrenta muitas complicações, pois as pessoas não estão acostumadas com o que elas estão vendo, na verdade eu não pensei que o rosto dele fosse tão ruim assim, mas conforme vai passando o corpo do livro, ele vai explicando mais ou menos o que ele se parece e você vai entrando na historia e percebendo que reclamamos tanto da vida, mas que tem pessoas passando por problemas de verdade, como August.

Esse livro é uma leitura fácil e completamente rápida, apesar das suas trezentas e pouquinhas páginas. Ele é dividido em oito capítulos, alguns longos e outros nem tanto. o Livro é visto pela visões de seus amigos e familiares, de como é ver August sofrer as provocações daquele jeito, sentir na pele como é ser realmente o August.

O final é completamente lindo, e vemos como não é difícil sermos amigos de pessoas que são diferentes de nós. Não é porque a pessoa tem uma aparência não tão favorável que devemos tratar ela mal, ou fazer comentários maldosos. Fiquei muito feliz das iniciativa das crianças em que ficaram ao seu lado, mesmo sabendo o quanto ele era torturado na escola, e não sentir vergonha dele, e sim gostar da pessoa pela qual ele é, como seu melhor amigo Jack disse, que ele não escolheria outra pessoa que fosse, por mais que Auggie não tivesse a melhor das aparências, ele tinha algo que nem todas as crianças e pessoas tinham, caráter e acima de tudo a lealdade como amigo.

Conclusão: O livro é maravilhoso e todos deveriam ler, e aprender um pouco que o que importa é o que a pessoa é por dentro e não a aparência, aliás, quem vê cara, não vê coração.