quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Cinema: 5 motivos para assistir o filme 'O Doador de Memórias'


Vou começar esse post falando EU ME ARREPENDI DE NÃO TER COMPRADO ESSE LIVRO! Ok, hoje foi a estréia aqui na minha cidade do filme 'O Doador de Memórias', eu tinha postado nos lançamentos de setembro aqui no blog, e eu só tinha visto o trailer bem por cima (o que foi um erro), e então decidi que eu ia assistir esse filme hoje na estréia, sem expectativas, nem sabendo do que realmente se tratava esse filme, na fila só tinha mais dois casais tirando eu e meu namorado, logo pensei, que o filme não seria bom, por não ter tanta gente na fila para assistir o filme. Mas minha opinião mudou muito assim que o filme começou!

1. A História: O livro originalmente foi lançado em 1993 nos Estados Unidos, com o titulo de O Doador, que agora em 2014 ganha o titulo de O Doador de Memórias, ganhando mais uma edição que é o primeiro volume de uma saga de quatro volumes. se trata de vigorar a mesmice, onde tudo e todos são iguais, não existe família em sí e sim unidades familiares, onde não há nada de 'podre' por assim dizer no mundo, não há fome, não há guerra, intolerância, inveja. Logo me chamou muita atenção, porque viver em um mundo dessa forma pode parecer bom, mas o fato de não sentir,  não ser feliz por completo, sentir um vazio por dentro, pode ser muito difícil. 

2. A Designação: Me chamou muita a atenção que no filme, eles são observados desde quando nascem, monitorados por câmeras, pois na cidade onde vivem, digamos que o governo que toma conta de tudo e de todos (o que seria o correto), e designam cada um deles, para o que eles vão ser no entanto em que são maiores.

3. As Memórias: Lógico que o principal foco do filme foi esse, e eu digo que me emocionei MUITO com as memórias as quais foram proporcionadas, sejam elas felizes, descobrimento, e de muita dor. Aliás teve uma memória pela qual eu não estava preparada, e então eu desabei no cinema.

4. A Liberdade: Claro que assim que você começa a entrar em um mundo pelo qual começa a ser seu, você começa a enxergar a vida, as pessoas com outra perspectiva, e se tornar um curioso,  querendo compartilhar tudo o que esta sentindo com as pessoas que se importa.

5. O Amor: Claro, que quando falamos de amor, logo, caracterizamos com namorados, mas não, se trata de amar a família, amar o que esta sentindo, buscar esperanças e não querer o mal de ninguém, pois sabendo o quanto a vida foi difícil e saber que tudo o que vivem não passa de uma ilusão, e querer todos aqueles que se ama bem, e lutar pela sobrevivência de cada um deles.

Resumindo: O filme foi lá pro topo dos meus filmes favoritos do ano (em breve falarei sobre eles aqui), e acho (acho não, tenho certeza) que todo mundo deveria correr para o cinema e assistir, já estou querendo voltar lá e assistir de novo, mas dessa vez terei de levar um caixa de lenços, porque só de lembrar já me emociono muito. Vale muito a pena o filme. Uma pena que não li o livro, mas sem sombra de dúvidas acabei de anotar a continuação na minha listinha.